Voltar ao topo

Especialista em Cores Fujifilm – Albert Flaujat

O historial de cada especialista comprova que são pessoas com paixão e entusiasmo que trabalham na Fujifilm e se especializam em papel fotográfico. Os especialistas refletem as suas próprias experiências e partilham os seus conhecimentos valiosos sobre o mercado da fotografia. Desta vez, entrevistamos Albert Flaujat durante o confinamento da Covid-19 em sua casa. É responsável pelo controlo de qualidade no escritório espanhol do Departamento Técnico de Imagem Fotográfica da Fujifilm Europe.

 

Quem é Albert Flaujat?

Nasci em Barcelona em 1959, onde concluí o ensino secundário. Seguindo os conselhos do meu pai, estudei inglês durante três anos como hobby (a língua estrangeira que aprendi no secundário foi o francês), já que seria a língua do futuro. E ele estava certo. Desde miúdo que os meus hobbies têm sido (e continuam a ser) a fotografia, a música, as viagens e o contacto com a natureza.

O que o levou a interessar-se pela fotografia?

O meu pai. Ele imortalizou todos os momentos da minha infância e primeiros anos, com a sua câmara Regula que ainda tem. Ensinou-me a enquadrar, a medir a luz e a desenvolver corretamente o filme. Enquanto membro de um clube de nómadas, iniciei um laboratório de fotografia que estava em desuso e comecei a desenvolver o meu trabalho, aprendendo sobre o ofício.

O meu hobby tornou-se o meu trabalho e, depois de um período como fotógrafo de eventos, comecei a trabalhar num laboratório industrial. Passei de praticar a arte em casa ao desenvolvimento e impressão de milhares de fotografias por dia.

E eu ainda coleciono câmeras antigas

Albert Flaujat e Fujifilm: diga-nos como e quando começou, e quais são as suas responsabilidades habituais.

Troquei o laboratório industrial por uma pequena loja com o primeiro Minilab que a Fujifilm criou em Espanha. Estamos a falar de uma altura em que demorávamos uma hora. Através da boa relação com a Fujifilm, tive a oportunidade de me associar a esta grande empresa, onde trabalho há 25 anos.

Tenho estado sempre no departamento técnico da Fujifilm, onde instalo equipamento, dou cursos e formação a clientes e, atualmente, estou encarregado do controlo de qualidade dos laboratórios.

Vivi todas as mudanças importantes na fotografia e no cinema, do analógico ao digital.

O que o inspira no seu trabalho?

A fotografia e a imagem são a minha paixão, e gosto muito de trabalhar nestes campos.

Como ajuda os clientes Fujifilm?

Partilhando toda a minha experiência com eles, e aconselhando sobre como melhorar e otimizar os resultados do equipamento.

Principais acontecimentos e histórias de sucesso de Albert na Fujifilm

As alterações importantes que tiveram lugar, tanto em relação a tirar fotografias e a imprimi-las, variam de filtros dicróicos (ou interferência) dos amplificadores a minilaboratórios laser, como suportes de desenvolvimento.

Por que é que considera o Papel Fotográfico Original o melhor?

Passaram pelas minhas mãos todas as marcas de papel fotográfico, ao longo dos anos em que trabalhei num laboratório. Aquele com a etiqueta verde tinha um branco com maior pureza, e cores mais brilhantes e intensas do que os restantes. Atualmente, foi ainda melhorado com uma gama de superfícies com que nem sequer se sonhava.

Como vê o futuro do Papel Fotográfico Original?

A equipa de jovens da nossa fábrica em Tilburg (Holanda) deu um forte impulso ao nosso papel fotográfico, oferecendo novos acabamentos e adaptando o produto aos requisitos atuais e futuros. Como tal, acho que ainda vai andar por cá por um bom tempo.

Tem alguma memória pessoal importante ilustrada em Papel Fotográfico Original?

Tenho centenas de imagens, mas a série de fotografias que tirei ao meu filho, todos os meses na mesma posição, durante o seu primeiro ano de vida, para registar o seu crescimento, está no meu coração.  

A fotografia como um hobby

Mostre-nos algumas fotos que você tirou e que o deixam especialmente orgulhoso, por exemplo, de suas férias.